domingo, 31 de julho de 2011

UMA NOITE NO MUSEU 2


Hoje 22 h na Fox


O mesmo Shawn Levy que dirigiu o primeiro filme, dirige também essa continuação, que traz de volta todo o elenco original e mais alguns acréscimos, com a diferença que o papel de Robin Williams – Theodore Rosevelt – aqui é bem menor que no anterior.

Larry Daley (Ben Stiller) agora não trabalha mais como vigia noturno do Museu de História Natural, pois virou inventor e dono de uma empresa de sucesso. Mas dessa forma não daria para criar uma história, então sem nenhuma explicação, ele resolve visitar o museu e descobre que o dono está revolucionando e vai mandar as atrações que ganham vida à noite para o depósito, pois acha que elas estão ultrapassadas. Um roubo acontece e os amigos de Larry, incluindo o cowboy em miniatura, Jedediah (Owen Wilson), vão parar em um complexo de 9 museus e todos precisam da ajuda do antigo vigia que não titubeia e parte para o resgate.

Agora o título nacional faz mais sentido, já que toda a ação acontece em uma única noite, ao contrário do primeiro que se desenrolava em várias noites, sendo mais apropriado “Noites no museu”. Há vários personagens novos, como a aviadora Amélia Earhart (Amy Adams) que se apaixona por Larry e em momentos românticos do casal, aparecem três anjinhos cupidos (dublados pelo grupo Jonas Brothers) cantando More than a woman e My heart will go on. Além dessas, ainda há outras duas músicas do grupo na trilha sonora e a animada “Let’s groove” de Earth, Wind and Fire, já no desenlace.


É um show de efeitos especiais. Agora é possível entrar em quadros na parede e participar das cenas. O mafioso Al Capone também aparece com sua gangue, toda em preto e branco, ao contrário do restante dos personagens, todos em busca da placa que veio do Egito e dá vida aos bichos, dinossauros e personagens de cera.

É um bom passatempo para qualquer idade, mas ao final deixa a impressão de piada velha e de já ter ouvido algo parecido antes, por isso ainda prefiro o primeiro filme.

sábado, 30 de julho de 2011

MÁRIO QUINTANA


Se estivesse vivo, Mário Quintana completaria hoje 105 anos. Gosto muito de seus poemas, que leio desde a adolescência e o “conheci” através do livro Baú de espantos (1986), mas ele já tinha lançado vários outros: A rua dos cataventos (1940), Canções (1946), Sapato florido (1948), O aprendiz de feiticeiro (1950), Espelho mágico (1951), Poesias (1962), Caderno H (1973, Rei de pilão (1975), Quintanares (1976), Apontamentos de história sobrenatural (1976), A vaca e o hipogrifo (1977), Prosa e verso (1978).


PARECE UM SONHO...
Mário Quintana


“Parece um sonho que ela tenha morrido!”
diziam todos... Sua viva imagem
tinha carne!... E ouvia-se na aragem,
passar o frêmito do teu vestido...

E era como se ela houvesse partido
E logo fosse regressar da viagem...
- até que em nosso coração dorido
a Dor cravava seu punhal selvagem!

Mas tua imagem, nosso amor, é agora
Menos dos olhos, mais do coração
Nossa saudade te sorri: não chora...
Mais perto estás de Deus, como um anjo querido
E ao relembrar-te a gente diz, então
Parece um sonho que ela tenha vivido.

(1953)

sexta-feira, 29 de julho de 2011

MALUCA PAIXÃO


Hoje 8h50 no Telecine Pipoca



Resolvi ir contra a maré e falar bem do filme Maluca Paixão com Sandra Bullock que foi indicado e ganhou vários prêmios Framboesa de Ouro, inclusive de pior atriz e pior filme.


A personagem de Sandra Bullock (Mary Horowitz) é mesmo uma chata de galocha, daquelas quase insuportáveis de ficar perto na vida real. E esse fato foi um dos mais criticados no filme. Ela cria palavras cruzadas para um jornal local e por isso, fala o tempo inteiro, inclusive sozinha, tornando-se intolerável.


Seus pais marcam um encontro às escuras pra ela com Steve (Bradley Cooper), um jornalista/câmera de TV. Quando ele percebe que ela parece uma louca, dá um jeito de cair fora logo, mas como ela se apaixona, fica correndo atrás dele pelos Estados Unidos, achando que ele também a quer.

 
O filme melhora substancialmente quando ela cai em buraco e tem a possibilidade de salvar uma criança muda que tinha ficado perdida durante um desmoronamento. Nesse momento, Mary percebe o quanto é querida, pois as pessoas se juntam para torcer pela sua salvação, inclusive Steve se arrepende de ter a desprezado e o público também entende sua solidão e seu jeito diferente de ser.


Numa fala final ela explica que os criadores de palavras cruzadas tentam preencher o vazio que sentem com palavras e cruzadas e ela tentou preencher o vazio que sentia com Steve, mas que não resolveu pois ela tinha que ter procurado alguém "normal" como ela, pois nem todas as pessoas aceitam muito bem quem é dirente. E ainda dá um conselho: "Se você ama alguém, deixe-o livre, pois se tiver que ficar correndo atrás, é porque não era pra ficarem juntos".

 
Um elogio aos diferentes, inteligentes e até chatos, mas no fundo ótimas pessoas. Conheça!

quinta-feira, 28 de julho de 2011

2012


Hoje 19h15 no Cinemax Prime



Hollywood sempre previu o fim do mundo, desde 1938, quando Orson Wells dramatizou o livro Guerra dos mundos de H. G. Wells, causando pânico na população que achava que aquela invasão de extraterrestres estava mesmo acontecendo. Essa história depois também foi filmada duas vezes, a última com Tom Cruise foi muito criticada. A invasão da Terra por ETs também aconteceu em O dia em que a Terra parou (também com duas versões), Independence Day (também de Emmerich), asteróides ou meteoros que podem cair na Terra: Armageddon, o aquecimento global que provoca o derretimento das calotas polares e consequentes nevascas: O dia depois de amanhã (também de Emmerich), O extinto planeta Terra, baseado em relatos bíblicos, com narração de Orson Wells e assim sucessivamente.


Dessa vez tudo começa com o calendário maia que prevê que o mundo acabará em 21/12/2012. Ainda em 2009, um cientista descobre que os maias poderiam estar certos e consegue avisar as autoridades que só se preocupam com elas mesmas e mandam construir barcas para tentar sobreviver ao desastre e pela qual cobram a bagatela de 1 bilhão de euros por pessoa para entrar nessa barca. Já em 2012, a radiação solar aumenta, as placas tectônicas se distanciam, os terremotos e as rachaduras se tornam constantes e a destruição começa, seguida por inevitáveis tsunamis no clímax do filme.


No meio disso tudo, está John Cusack, um homem separado da mulher, que pega os filhos para o fim de semana e de repente se vê no meio do problema, pois está na Califórnia, onde tudo começa, mas como ele tem todas as características de um típico herói hollywoodiano, não mede esforços para tentar contornar a situação: aluga um avião e vai atrás dos filhos, da ex-mulher e do atual marido dela que é médico, mas como não poderia deixar de ser, teve aulas de vôo e pilota o avião.


As cenas de ação são de tirar o fôlego e não dão trégua para o espectador. A produção não perdoou nenhum dos pontos turísticos mundiais. Em um momento, um jornalista anuncia cenas da Globo News que mostram o Cristo Redentor sendo destruído (cena essa que ilustra o cartaz nacional do filme), depois a Torre Eiffel, o Vaticano e o resto do mundo.


Essa é a 2ª versão da história. Em 2008 foi produzido 2012: O ano da profecia.


quarta-feira, 27 de julho de 2011

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS



Hoje 10h30 e 21h30 no HBO Family



Diferente do conhecido livro de Lewis Caroll, em Alice no país das maravilhas, a personagem principal (Mia Wasikowska) já tem 17 anos e quando vai a uma festa descobre que está prestes a ser pedida em casamento por um homem detestável. Ela então, foge seguindo um coelhinho branco e vai parar no país das maravilhas, um local que ela visitou há 10 anos mas não se lembrava. Lá conhece personagens como os irmãos gêmeos Tweedle-Dee e Tweedle-Dum, o Gato Risonho, a Lagarta, a Lebre Maluca, Chapeleiro Maluno (Johnny Depp em seu sétimo filme de Tim Burton), a Rainha Vermelha, mais conhecida como cabeçuda (Helena Bonham Carter, mulher de Tim Burton) e a rainha branca (Anne Hatthaway).


O filme é baseado nos dois livros de Lewis Caroll, protagonizados por Alice: Alice no país das maravilhas e Alice através do espelho, mas a história se passa alguns anos depois quando ela já é adolescente e é como se fosse uma continuação desses livros ou do clássico desenho animado da Disney (que também é produtora aqui), realizado na década de 50 e mistura personagens e histórias desses dois livros.


Como todos os filmes de Tim Burton, Alice é sombrio e talvez não muito adequado às crianças pequenas (sua classificação é 10 anos). Foi muito criticado o espírito carnavalesco do figurino e dos cenários, mas acho que eles se encaixam perfeitamente à história que é totalmente fantasiosa. Chega a ser uma festa para os olhos todo aquele exagero.


segunda-feira, 25 de julho de 2011

MORRE AMY WINEHOUSE


A cantora inglesa Amy Winehouse foi encontrada morta em seu apartamento na tarde do sábado passado. Muitos especuladores culpam as drogas e a morte teria sido provocada por overdose, mas a causa da morte ainda não foi revelada.

Amy tinha 27 anos e entra na lista dos roqueiros que morreram com essa idade como Jim Morrison, Jimmy Hendrix, Kurt Cobain e Janis Joplin. Uma coincidência bem mórbida.

Lançou seu primeiro disco em 2003, Frank, mas o sucesso só aconteceu com o disco seguinte, Back to black (2006), que trazia músicas autobiográficas como Rehab, que fala de sua relutância em participar da reabilitação para se livrar das drogas, além de You know I'm no good e Tears dry on their own. Recebeu cinco Grammys pelo disco, mas não pôde ir aos Estados Unidos receber os prêmios depois que o país avisou que ela seria uma persona non grata devido a seu envolvimento com drogas. Pouco depois os médicos avisaram que se ela não parasse de beber, morreria.


As drogas e o casamento problemático com Blake Fielder (de quem se separou) fizeram com que tivesse problemas em seus shows, em que se mostrava embriagada e esquecia as letras das músicas, como num show em Belgrado em que foi vaiada pelo público e teve que sair do palco aos prantos. Fez uma pequena turnê no Brasil no início do ano, mas sua atitude não foi diferente.

Tinha dificuldades para escrever e gravar as músicas de seu terceiro disco, por isso não se tem certeza de quantas músicas já estavam gravadas. Participava das apresentações da cantora de soul (gênero que Amy "ressuscitou") Dionne Bromfield, com quem foi vista em sua última aparição em público na quarta-feira, durante um show na The roundhouse, em Camden (Inglaterra).

Gostava muito de Amy, de sua figura peculiar e de suas músicas. Até mais do que de Lady Gaga, que chegou a fazer mais sucesso.

Mas todas as suas loucuras (e não foram poucas) serão esquecidas e o que ficará é sua música.








domingo, 24 de julho de 2011

FIM DE CARREIRA

Gilberto Carlos


Gabriela Ferraz senta-se triste em seu surrado sofá da sala, lembrando-se do glamour de sua mansão do passado, quando toda a alta sociedade do Rio de Janeiro ia procurá-las. Alguns apenas com o interesse e sair nas colunas sociais e outros diziam ser seus verdadeiros amigos. O dinheiro compra todos os amigos do mundo. Agora vive numa casa pobre com apenas três cômodos, um banheiro e alguns móveis velhos.

Pensa na sua carreira de 50 anos como atriz e se entristece ao lembrar que o último trabalho a que foi convidada foi há dez anos atrás. Tinha corpo formoso e rosto delicado. Todos os homens davam um braço se fosse preciso para desfrutar de sua companhia nos bailes.

Papel de protagonista nos melhores dramas do teatro brasileiro. Um troféu de melhor atriz por uma tragédia shakespeariana, permanece em cinema da estante apanhando poeira. Se alguém pelo menos se interessasse em comprá-lo. Podia usar o dinheiro para fazer as compras no supermercado. A despensa está ficando vazia.

Ninguém se interessa por passado. O povo não tem memória. Seus fãs já morreram todos. Se pelo menos aparecesse um convite para atuar numa novela, mesmo que em papel pequeno. O último comercial que fez foi para uma empresa de fraldas geriátricas. Que vergonha! Uma atriz do seu quilate se prestar a esse papel vergonhoso. Ainda bem que seus fãs já estão quase todos mortos, pois se alguém a visse daquele jeito não acreditaria.

Precisa pagar as contas como qualquer ser humano. A aposentadoria mal dá pra comer. As pessoas pensam que quando um ator está há muito tempo sem trabalhar, ele está tirando férias, mas onde já se viu férias tão longas?

Se soubesse que passaria tantas necessidades agora, não teria esbanjado tanto no passado. Tanto dinheiro jogador fora com coisas desnecessárias. Viagens intermináveis pelo mundo afora, roupas exclusivas de estilistas famosos, carros importados...

Como num sonho ela vê todos os seus bens voando pela janela, para pagar as dívidas. Uma a um, eles se foram, ficando apenas aquela pequenina casa, naquele bairro pobre.

Quase não recebe visitas. É melhor assim, os visitantes só dão despesas extras e ela não pode se dar a esses luxos.

O telefone toca.

_ Não sei como ainda não cortaram o telefone. Seis meses de atraso. Devem estar esperando fazer aniversário de um ano.

De repente, uma ideia maravilhosa passa por sua cabeça: um convite de trabalho! É isso: um produto. É isso: um produtor está ligando para convidá-la para uma peça teatral. Treme de prazer só de imaginar. Esboça um sorriso, como se pudesse ser vista através do aparelho telefônico. Imagina a fama novamente lhe rondando. As pessoas lhe pedindo autógrafos. O dinheiro novamente em sua conta bancária. Poder se mudar daquele muquifo onde mora para um lugar mais confortável, onde possa receber alegremente os diretores atores de seu novo trabalho. Um carro com motorista particular para ir aos compromissos dignamente e roupas novas, pois as suas estão em frangalhos.

O telefone continua tocando e ela sonhando com esse mundo perfeito criado por ela mesma em sua sonhadora cabeça. É melhor atender antes que desistam de lhe dar o papel principal nessa mais nova produção do teatro brasileiro.

Coloca uma gota de perfume vencido, daquela época gloriosa, atrás da orelha, imaginando a limusine encostando na porta de sua casa. O chofer lhe abrindo a porta gentilmente com um sorriso verdadeiro e gratificante no rosto por estar podendo servir a famosa Gabriela Ferraz, estrela de 60 filmes, 40 peças de teatro, 20 novelas de rádio e 15 de televisão, 10 fotos-novela e dezenas de especiais.

O telefone ainda toca. Ela resolve atender finalmente depois de se maquiar toda.

_ Alô – diz alguém do outro lado.
_ Alô.
_ Quem fala?
_ A famosa atriz Gabriela Ferraz.
_ Gabriela, o quê?
_ Gabriela Ferraz. A preferida do diretor Nelson Pereira dos Santos. Você contrata para qual companhia de teatro?
_ Companhia nenhuma, minha senhora.
_ Então por que me ligou?
_ Esse não é o telefone do disque sexo?
_ Me respeite. Quem pensa que eu sou?
_ Desculpe então. Foi engano – diz desligando o telefone.


sexta-feira, 22 de julho de 2011

DA LITERATURA PARA AS NOVELAS - OS ANOS 90 E 2000


Salomé (Globo, 1991) de Sérgio Marques, baseada na obra de Menotti Del Picchia, com Patrícia Pillar, Petrônio Gontijo.


Felicidade (Globo, 1991/ 1992) de Manoel Carlos, inspirada em oito contos de Aníbal Machado (incluindo O iniciado do vento), com Maitê Proença, Tony Ramos e Vivianne Pasmanter.


Fera Ferida (Globo, 1993) de Aguinaldo Silva, inspirada nos romances “Clara dos Anjos”, “Recordações do escrivão Isaías Caminha”, “Triste fim de Policarpo Quaresma”, “Vida e morte de M. J. Gonzaga de Sá” e nos contos “Nova Califórnia” e “O homem que sabia japonês” de Lima Barreto.

O meu pé de laranja lima (Band, 1998) de Ana Maria Moretzsohn, com Caio Romei e Gian Francesco Guarnieri.

Serras azuis (Band, 1998) de Ana Maria Moretzsohn, da obra de Geraldo França de Lima.
 

Brida (Manchete, 1998) de Jayme Camargo do romance de Paulo Coelho, com Carolina Kasting, Leonardo Vieira e Rubens de Falco.

Suave Veneno (Globo, 1999) de Aguinaldo Silva, da peça “O Rei Lear” de Shakespeare, com José Wilker e Letícia Spiller.

Porto do milagres (Globo, 2001) de Aguinaldo Silva, baseada nos livros “Mar Morto” e “A descoberta da América pelos turcos” de Jorge Amado, com Antonio Fagundes Marcos Palmeira e Flávia Alessandra.

Além dos remakes já citados nas postagens anteriores.


quarta-feira, 20 de julho de 2011

ROMARIA


No ano passado viajei em Romaria para Aparecida - SP (sou católico graças a Deus, apesar de não concordar com algumas coisas relacionadas à religião, mas isso não vem ao caso). Hoje sai uma nova excursão e vou novamente. É uma viagem muito agradável, além de contar com o atrativo de um dia de visita ao Rio de Janeiro (Cristo Redentor, bondinho do Pão-de-açúcar e Praia de Copacabana).

Lembrei-me da música ROMARIA de Renato Teixeira que já foi gravada dezenas de vezes, por artistas do 'timbre' de Elis Regina, Jessé e Maria Bethânia e é muito apropriada para a ocasião.



Romaria
Renato Teixeira

É de sonho e de pó
o Destino de um só
Feito eu perdido em pensamentos sobre o meu cavalo
É de laço e de nó
De gibeira o jiló
Dessa vida, comprida, a só.

Sou caipira pira pora Nossa Senhora De Aparecida
Ilumina a mina escura e funda o trem da minha vida.2x

O meu pai foi peão,
Minha mãe solidão,
meus irmãos perderam-se na vida a custa de aventuras.
Descasei e joguei, investi desisti
Se há sorte, eu não sei, nunca vi.

Sou caipira pira pora Nossa Senhora De Aparecida
Ilumina a mina escura e funda, o trem da minha vida.2x

Me disseram porém
que eu viesse aqui
pra pedir de romaria e prece paz dos desaventos
como eu não sei rezar
só queria mostrar
meu olhar, meu olhar, meu olhar.

Sou caipira pira pora Nossa Senhora de Aparecida
ilumina a mina escura e funda o trem da minha vida.3x



segunda-feira, 18 de julho de 2011

AMOR E OUTRAS DROGAS


Filmes sobre doenças são sempre difíceis, provocam choro com muita facilidade e ainda correm o risco de ser piegas ou melodramáticos, mas quando vem travestidos de histórias de amor, se tornam mais fáceis. É o caso de Amor e outras drogas que no início parece até um filme erótico com ousadas cenas de nudez e sexo entre Jamie (Jake Gyllenhall) e as mulheres que ele encontra para transar sem compromisso, inclusive Maggie (Anne Hattaway) que compartilha com ele o descompromisso.

Mas como nada pode ser perfeito, Maggie sofre do Mal de Parkinson – coisa incomum para alguém de 26 anos – e deixa isso claro desde o primeiro encontro. Quando ela faz a revelação é até estranho pela naturalidade com que aceita o fato de sofrer de uma doença degenerativa e incurável. O Mal de Parkinson está em sua fase inicial, mas com o agravamento dos tremores sua força inicial se mostra insuficiente e ela necessita do apoio de Jamie, que já está apaixonado. Mas como ela poderia pedir isso a ele? E como ele abdicaria de encontrar outra pessoa que não fosse doente para lhe dedicar todo o cuidado que ela necessita? Por amor?

Amor e outras drogas (o título se explica por Jamie ser vendedor de medicamentos, inclusive o Viagra) não é melodramático, apesar de bem triste em alguns momentos. O choro pode surgir nesses instantes, mas é tão sensível e cativante que são lágrimas bem vindas por mostrarem a força do amor.


sábado, 16 de julho de 2011

ROSANA NAS TRILHAS DE NOVELAS


Adoro as músicas da cantora Rosana, que muitos consideram brega, principalmente na época de O amor e o poder (1987). Dezessete de suas músicas já foram temas das novelas brasileiras. Escolhi as minhas 10 preferidas por ordem cronológica:


1. Do nada pra lugar nenhum (Hipertensão - 1986) - Não encontrei o vídeo para essa música...



2. Nem um toque (Roda de fogo - 1986)



3. O amor e o poder (Mandala - 1987)


4. Direto no olhar (O salvador da Pátria - 1989)


5. Onde o amor me leva (O sexo dos anjos - 1990)


6. Riscos do amor (Salomé - 1991)


7. Se eu me apaixonar (Quatro por quatro - 1994)


8. Reencontro (Os mutantes - 2008)


9. Loving you (Caras e bocas - 2009)


10. Greatest love of all (Ti ti ti - 2010/11)

Além das citadas, embalou também as novelas:
* Gente fina com a música Cidadã do mundo;
* Rosa Selvagem - Música e lágrima/ Me tira do rumo;
* Malhação - Linha de fogo;
* Olhar de mulher - Diga;
* Prova de amor - Ninguém te amou assim.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

DIA DO HOMEM

Christopher Reeve em Superman - O filme

Comemora-se hoje no Brasil o Dia do Homem, mas essa data não é do conhecimento de todos, já que o dia da mulher ficou muito mais 'famoso'. Eu só vim a descobrir isso agora que o dia está quase acabando, mas mesmo assim não poderia deixar de homenagear nossa classe que finge ser forte e às vezes até super-herói, mas no fundo, no fundo é muito insegura e só precisa de compreensão, carinho e de alguém para fingir que resolve os problemas (dessa pessoa). Ney Matogrosso ironizou isso em Homem com H, falando da fraqueza e da força contidas na mesma pessoa.

HOMEM COM H
Ney Matogrosso

Nunca vi rastro de cobra
Nem couro de lobisomem
Se correr, o bicho pega
Se ficar, o bicho come
Porque eu sou é homem
Porque eu sou é homem
Menina, eu sou é homem
Menina, eu sou é homem

E como sou

Nunca vi rastro de cobra
Nem couro de lobisomem
Se correr, o bicho pega
Se ficar, o bicho come
Porque eu sou é homem
Porque eu sou é homem

Menina, eu sou é homem
Menina, eu sou é homem

Quando eu estava pra nascer
De vez em quando eu ouvia
Eu ouvia a mãe dizer
Ai, meu Deus, como eu queria
Que esse cabra fosse homem
Cabra macho pra danar

Ah! Mamãe, aqui estou eu
Mamãe, aqui estou eu
Sou homem com H
E como sou

Nunca vi rastro de cobra
Nem couro de lobisomem
Se correr, o bicho pega
Se ficar, o bicho come
Porque eu sou é homem
Porque eu sou é homem
Menina, eu sou é homem
Menina, eu sou é homem
E como sou

Cobra...
Homem...
Pega...
Come...

Porque eu sou é homem
Porque eu sou é homem
Menina, eu sou é homem
Menina, eu sou é homem

Eu sou homem com H
E com H eu sou muito homem
Se você quer duvidar
Olhe bem pelo meu nome
Já tó quase namorando
Namorando pra casar
Ah! Maria diz que eu sou
Maria diz que eu sou
Sou homem com H
E como sou

Eu sou homem com H
E com H eu sou muito homem
Se você quer duvidar
Olhe bem pelo meu nome
Já tó quase namorando
Namorando pra casar
Ah! Maria diz que eu sou
Maria diz que eu sou
Sou homem com H
E como sou
E como sou

Cobra...
Homem...
Pega...
Come...

Porque eu sou é homem
Porque eu sou é homem
Menina, eu sou é homem
Menina, eu sou é homem

Eu sou homem com H

E com H eu sou muito homem
Se você quer duvidar
Olhe bem pelo meu nome
Já tó quase namorando
Namorando pra casar
Ah! Maria diz que eu sou
Maria diz que eu sou
Sou homem com H
E como sou

Eu sou homem com H
E com H eu sou muito homem
Se você quer duvidar
Olhe bem pelo meu nome
Já tó quase namorando
Namorando pra casar
Ah! Maria diz que eu sou
Maria diz que eu sou
Sou homem com H
E como sou (3x)
E... como sou 

 

quinta-feira, 14 de julho de 2011

OS FILMES DE SUSPENSE

Janet Leigh em Psicose

O suspense foi definido por Alfred Hitchcock como a técnica de fornecer ao espectador informações que os personagens desconhecem. E Alfred Hitchcock foi considerado o mestre do suspense, consagrado pela crítica, pelos outros cineastas e pelo público, com filmes do “calibre” de Rebecca, a mulher inesquecível (1940), Pacto Sinistro (1951), Disque M para matar (1954), Janela indiscreta (1954), O homem que sabia demais (1956), Um corpo que cai (1958), Intriga internacional (1959), Psicose (1960) e Os pássaros (1963).


Os discípulos diretos de Hitchcock são Steven Spielberg, que iniciou carreira com o magistral filme para a Tv, Encurralado (1971), em que um caminhão tanque persegue um homem num carro, mas nunca conseguimos ver o rosto do vilão, e depois com Tubarão (1975), e Brian de Palma, que dirigiu vários suspenses como Vestida para matar (1980), Um tiro na noite (1981), Dublê de corpo (1984), O pagamento final (1995) e Olhos de serpente (1998).

Cena de Blow UP - Depois daquele beijo
Mas foram vários os diretores que assustaram o público com seus filmes, como Sidney Lumet (Assassinato no Expresso Oriente, baseado no livro da mestre do suspense Agatha Christie), Michelangelo Antonioni (Blow Up – Depois daquele beijo), Neil Jordan (A companhia dos lobos, A premonição, Traídos pelo desejo), Lawrence Kasdan (Corpos ardentes), Roman Polanski (O inquilino), Robert Harmon (A morte pede carona), Jean Jacques Annaud (O nome da Rosa), Billy Wilder (Pacto de sangue), Robert Aldrich (O que teria acontecido a Baby Jane?), Sam Peckimpah (Sob o domínio do medo), David Lynch (Veludo azul, Twin Peaks, Duna, A estrada perdida), Costa Gravas (Desaparecido – Um grande mistério).
Muitos confundem suspense e terror, já que os dois gêneros são muito parecidos, mas alguns especialistas o descreveram. O terror estimula instintos básicos como o medo diante do desconhecido, a repulsa diante dos monstros, o nojo, a morte, o sobrenatural, já o suspense envolve o espectador que participa como cúmplice dos personagens em situações naturais (ou nem tanto) e há a possibilidade de salvação, geralmente no último minuto.


Mas Os pássaros (1963) de Hitchcock seria um filme de suspense ou de terror? Hoje em dia o cinema distorceu essas definições e não é tão fácil separar os dois, já que o terror não é mais provocado só por causas sobrenaturais, por personagens que já morreram e retornaram para se vingar ou possuir o espírito de alguém. Wes Craven provou isso na série Pânico em que os assassinos não eram de outro planeta ou dimensão. Os exemplos são vários, mas talvez separar os gêneros não seja tão importante, o melhor é se assustar, seja com filmes de terror, suspense ou de mistério, desde que façam pensar, o que o cinema atual não anda fazendo.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

13 DE JULHO: DIA INTERNACIONAL DO ROCK


No dia 13 de julho comemora-se o dia internacional do rock, pois foi nesse dia, no ano de 1985 que Bob Geldof, vocalista da banda Boomtown Rats organizou o maior show de rock da história, o Live Aid - uma perfeita combinação de artistas lendários da história da pop music e do rock mundial.

Além de contar com nomes de peso da música internacional, o Live Aid era uma tentativa de conseguir fundos para que a miséria e a fome na África pudessem ser pelo menos minimizadas. Dois shows foram realizados, sendo um no Wembley Stadium de Londres (Inglaterra) e outro no JFK Stadium na Filadélfia (EUA).

Os shows contaram com Paul McCartney, The Who, Elton John, Boomtown Rats, Adam Ant, Ultravox, Elvis Costello, Black Sabbath, Run DMC, Sting, Brian Adams, U2, Dire Straits, David Bowie, The Pretenders, The Who, Santana, Madonna, Eric Clapton, Led Zeppelin, Duran Duran, Bob Dylan, Lionel Ritchie, Rolling Stones, Queen, The Cars, The Four Tops, Beach Boys, entre outros, alcançando uma audiência pela TV de cerca de 2 bilhões de telespectadores em todo o planeta, em cerca de 140 países.

Nesse dia é importante também relembrar astros do rock, tanto aqueles que participaram desse lendário show, quanto outros, muitos deles inclusive já falecidos, como Elvis Presley (considerado até hoje o rei do rock) e os brasileiros, como Cássia Eller, Cazuza, Raul Seixas e a inesquecível banda Legião Urbana.

Viva o Rock!








terça-feira, 12 de julho de 2011

RELEMBRANDO O ASTRO


A Rede Globo estreia hoje o remake da novela O astro, às 23h00. Com essa trama, a emissora comemora os 60 anos da televisão brasileira e os 46 anos de exibição de sua primeira novela, Ilusões perdidas.

O Astro foi escrita por Janete Clair e dirigida por Daniel Filho (até o capítulo 30) e Gonzaga Blota em 186 capítulos (de 06/12/1977 a 08/07/1978).

A trama girava em torno da ascenção social do vidente Herculano Quintanilha (Francisco Cuoco) que de cartomante passa a braço direito de Salomão Ayala (Dionísio Azevedo). Herculano conhece Salomão quando se envolve com Amanda (Dina Sfat), amiga da família.

Salomão vivia um conflito com o filho Márcio (Tony Ramos), que não se interessava pelos negócios da família e se apaixonou pela taxista Lili (Elizabeth Savalla).

No desenrolar da trama, Salomão Ayala foi assassinado, o que deixou o país em suspense por cinco meses, para saber quem seria o assassino, só revelado no último capítulo.

O remake será exibido em versão compacta de 60 capítulos. Tomara que a moda pegue e as novelas passem a ser mais curtas para evitar a enrolação, que todos chamam de barriga em longos oito ou nove meses.

Veja quem interpreta os principais papéis nas duas versões:


Francisco Cuoco X Rodrigo Lombardi
(Herculando Quintanilha)


Elizabeth Savalla e Tony Ramos
(Lili e Márcio)


Thiago Fragoso
(Márcio)

Alinne Moraes
(Lili)

Dionísio Azevedo X Daniel Filho
(Salomão Hayalla)


 














Dina Sfat X Carolina Ferraz
(Amanda)

Tereza Rachel X Regina Duarte)
(Clô Hayalla)


domingo, 10 de julho de 2011

O CUIDADO

Gilberto Carlos

Se tudo se tornar insuportável
Lembre-se que eu estou aqui
Pra te ouvir
E te entender.

Não desista nunca!
Mesmo que as coisas piorem
Eu estou aqui pra te acompanhar
E te aconselhar.

Às vezes tudo parece difícil
Quase impossível de aguentar
Mas eu estou aqui pra te ajudar
E te acalmar.

E quando você precisar
Estarei aqui pra te cuidar
E te amar
Porque só quem ama, cuida!



sexta-feira, 8 de julho de 2011

POR ONDE ANDAM?


Quem não tem saudades daqueles atores que fizeram sucesso no passado e agora estão sumidos da televisão ou mesmo do cinema e não tem a mesma exposição da mídia?

Com esse afastamento, o público se pergunta por anda ou o que estaria fazendo e se esse afastamento foi voluntário, como o de Lídia Brondi que se aposentou depois de atuar em Meu bem, meu mal (1990) e hoje é dona de casa e esposa do ator Cássio Gabus Mendes e Paulo Castelli que abandou a vida artística depois de Kananga do Japão, 1989. Hoje é médico.

Lista de atores que gosto e estão sumidos. Supostamente por falta de novos convites. Entre parênteses, o último trabalho feito por eles.

Adriano Reys (Paixão proibida, 2006)

Carlo Mossy (Queridos amigos, 2008)

David Cardoso (Da cor do pecado, 2004)

Helena Ramos (O amor está no ar, 1997)


Bruna Lombardi (O quinto dos infernos, 2002 na Tv e O signo da cidade, 2007 no cinema)

Carlos Alberto Riccelli (Chiquinha Gonzaga, 1999 na Tv e Federal, 2010 no cinema)

Denise Bandeira (Tudo ou nada, 1987 na TV e Apolônio Brasil, o campeão da alegria, 2003 no cinema)

Mayara Magri (A escrava Isaura, 2004)

Tássia Camargo (Vidas opostas, 2006)

Marcelo Picchi (Prova de amor, 2005)

Denise Dummont (Corpo Santo, 1987 e um episódio de As cariocas, 2010). Mora no exterior e retornou ao Brasil para produzir um documentário sobre o pai.


Ênio Gonçalves (Páginas da vida, 2006)

Eduardo Tornaghi (Carmem, 1987 na Tv e Salomé, 2010 no cinema)
Kátia D’Angelo (Pantanal, 1990) que agora é seguidora deste blog (Adoro).

Lucélia Santos (Donas de casa desesperadas, 2007 na TV e Lula, o filho do Brasil, 2009 no cinema)

Lady Francisco (Duas caras, 2007/2008)

Myrian Rios (O clone, 2001). Virou apresentadora da TV Canção Nova.

Nadia Lippy (Prova de amor, 2005)

Ney Santanna (Sassaricando, 1987 na TV e Brasília 18%, 2006 no cinema)
Cristina Aché (Pacto de sangue, 1989 na Tv e Encarnação do demônio, 2008 no cinema)

Renée de Vielmond (Paraíso tropical, 2007)

Paulo Guarnieri (Perdidos de amor, 1996 na tv e Feliz Natal, 2008 no cinema)

Aldine Müller (Dance, dance, dance, 2007)

Nina de Pádua (Chamas da vida, 2008)

Sura Berditchevsky (Senhora do destino, 2004)

Alba Valéria (A máfia no Brasil, 1984 na tv e O lado certo da vida errada, 1996 no cinema)

Stepan Nercessian (Cobras e Lagartos, 2006)

Suzana Gonçalves (Páginas da vida, 2006)


Tereza Seiblitz (Donas-de-casa desesperadas, 2007)

Vanessa Alves (Antonio Alves, taxista, 1996)

Vera Gimenez (Donas-de-casa desesperadas, 2007)

Giovanna Gold (Por amor, 1997)

Ítala Nandi (Caminhos do coração, 2007)

Adele Fátima (Memorial de Maria Moura, 1994)

quarta-feira, 6 de julho de 2011

SONIA BRAGA DE A a Z - Parte 2


Rookie – Um profissional do perigo (1990) de Clint Eastwood. Sua estreia nos filmes de ação. Foi muito criticada por não ter tipo para os filmes do gênero. Download Torrent

Amazônia em chamas (1994). Biografia de Chico Mendes rodada no México. Sonia vive uma antropóloga nos seringais do Acre. Download Torrent


Tieta do Agreste (1997). Segunda adaptação do livro de Jorge Amado, antes feita para a televisão (1989) com Betty Faria. Download


Um drink no inferno 3 – A filha do demônio (2000) Download


Memórias Póstumas (2001). Segunda adaptação do livro de Machado de Assis, agora estrelado por Reginaldo Faria. Download

Olhar de anjo (2001). Começaram os papéis de mãe, aqui era a progenitora de Jennifer Lopez. Download



Testosterona (2003). Um romance homossexual passado na Argentina. Sonia é a mãe preconceituosa de um dos protagonistas. Download



Um amor jovem (2006). Participa de uma única sequencia como a mãe de Catalina Sandino Moreno. Download



Matemática do amor (2009). Tem uns figurinos muito feios ao viver a mãe da complicada e infantil Jessica Alba. Download



Lope (2010) de Andrucha Waddington. Faz a mãe do revolucionário espanhol Félix Lope de Vega. Download