terça-feira, 29 de abril de 2014

TODOS OS FILMES DE JASON STATHAM


Quando sou fã de algum ator, gosto de acompanhar toda a sua carreira. O último foi Jason Statham do qual assisti todos os filmes. Ele é o maior astro dos filmes de ação atualmente.

Jason Michael Statham nasceu em Chesterfield (Inglaterra) em 12 de setembro de 1967 e além de ator é também lutador de artes marciais e mergulhador profissional. Está explicada toda a sua desenvoltura nas cenas de luta.


Estreou no cinema em Jogos, trapaças e dois canos fumegantes (1998) de Guy Ritchie e depois atuou no filme seguinte do diretor, Snatch - Porcos e diamantes (2000), mas o sucesso só aconteceria quando ele foi para os Estados Unidos e virou astro das séries Carga explosiva (2002, 2005 e 2008) e Adrenalina (2006 e 2009), mas foram vários os seus sucessos, inclusive como dublador da animação Gnomeu e Julieta (2011).

FILMOGRAFIA COMPLETA
2014Os mercenários 3
2013Linha de Frente
2013Redenção
2013Velozes & Furiosos 6
2013Parker
2012Os Mercenários 2
2012O Código
2011Os Especialistas
2011Blitz
2011Gnomeu e Julieta
2011Assassino à Preço Fixo
2010Os Mercenários
201013 - O Jogador
2009Adrenalina 2
2009Carga Explosiva 3
2008Corrida Mortal
2008Efeito Dominó
2007Rogue: O Assassino
2007Em Nome do Rei
2006Adrenalina
2006A Pantera Cor de Rosa
2005Caos
2005Revólver
2005London
2005Carga Explosiva 2
2004Celular - Um Grito de Socorro
2004Colateral
2003Uma Saída de Mestre
2002Carga Explosiva
2001Penalidade Máxima
2001O Confronto
2001Fantasmas de Marte
2000Vencendo na marra  
2000Snatch - Porcos E Diamantes
1998Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes



Tem um site com download de todos os filmes do ator até Parker 

P.S. O próximo da lista que eu verei a filmografia completa é Channing Tatum.



      CADASTRE-SE COMO DOADOR DE MEDULA ÓSSEA

domingo, 27 de abril de 2014

DOWNLOAD OU NÃO DOWNLOAD? EIS A QUESTÃO


Durante as datas comemorativas da semana passada fiz algumas postagens em que no final coloquei o filme referente a ela que está disponível no youtube e fui duramente criticado por um leitor que perguntou se eu amo mesmo o cinema, já que tinha postado os filmes completos. Perguntou se eu não sabia que eram obras protegidas por direito autoral e seu apoiava a pirataria virtual, já que ele não apoiava blogs que incentivam esse tipo de coisa.

Em contrapartida outros leitores já comentaram que eu deveria colocar os links para download dos filmes que comento, mas eu fico sempre em dúvida sobre o que fazer, ou qual é a opinião dos seguidores.

Respondendo as perguntas daquele leitor: eu amo demais o cinema, sei que todos os filmes são protegidos por direito autoral e não apoio a pirataria virtual, apesar de saber que quase todo mundo baixa filmes pela internet, inclusive eu.

Já baixei mais de 1000 filmes, principalmente porque há alguns raros, que foram lançados apenas em VHS e estão fora do mercado há muitos anos, ainda não foram lançados em DVD ou Bluray e nem passam na televisão, então a única forma de vê-los é através de downloads. Incluindo aí muitos filmes brasileiros antigos como os da Boca do Lixo dos anos 70 e 80.

Mas eu baixo, assisto e deleto em seguida, não vendo, não empresto, não troco e não tenho nenhum lucro com eles, inclusive o Gilberto Cinema não tem nenhum fim lucrativo.

O que você acha sobre esse assunto? Você baixa filmes pela internet? O Gilberto Cinema deve trazer em suas postagens links para downloads ou isso é uma coisa desnecessária?

sexta-feira, 25 de abril de 2014

MEIRY VIEIRA


Tenho carinho especial por todas as atrizes que participaram das pornochanchadas, como Helena Ramos, Adriana Prieto, Matilde Mastrangi, Rossana Ghessa, mas gosto particularmente de Meiry Vieira pelos papéis de mulheres fortes e autoritárias que interpretou durante toda a sua carreira. Claro que quando seu nome é citado, a maioria das pessoas só se lembra da Rainha Má de “Histórias que nossas babás não contavam”, mas ela participou de outros 36 filmes, além da mini-série ‘Bandidos da falange” (1983) da Rede Globo em que assinava como Meiry Ventura, mas em outras ocasiões assinou também como Meire Vieira, Meyry Vieira e Meire Vera.

Meiry nasceu no Rio de Janeiro, RJ. Era proprietária de uma boutique e trabalhava também como modelo fotográfico e manequim. Em 1970 conheceu o diretor Pedro Carlos Rovai que procurava locações para seu próximo filme, “A viúva virgem”, ficou encantado com sua beleza e a convidou para participar do filme, sendo essa sua estreia no cinema. Depois dele, atuou em dezenas de outros até o ano de 1984, quando se afastou da carreira artística.


CARREIA CINEMATOGRÁFICA
(Os filmes que assisti estão marcados *)

A viúva virgem (72) *
O supercareta (72)
Um virgem na praça (73)
As moças daquela hora (73) *
Costinha, o libertino (73) *
O fraco do sexo forte (73)
Divórcio à brasileira (73)
As depravadas (73)
Como é boa a nossa empregada (73) *
O marido virgem (74) *
Ainda agarro esta vizinha (74) *
Uma mulata para todos (75)
Quando elas querem... e eles não (75)
As loucuras de um sedutor (75) *
Com as calças na mão (75) *
Cada um dá o que tem (75) *
O quarto da viúva (76)
Possuída pelo pecado (76) *
As mulheres que dão certo (76)
Presídio de mulheres violentadas (77)
Pintando o sexo (77) *
Escola penal de meninas violentadas (77) *
Deu a louca nas mulheres (77)
Bonitas e gostosas (78) *
Quanto mais pelada... melhor (79)
Nos tempos da vaselina (79) *
A noite dos imorais (79)
Histórias que nossas babás não contavam (79) *
A ilha dos prazeres proibidos (79) *
 A prisão (80) *
O fotógrafo (80) *
Corpo devasso (80) *
As prostitutas do Dr. Alberto (81)
Anarquia sexual (81)
Império do desejo (81) *
Tensão e desejo (83) *

Nunca fomos tão felizes (84) *


quarta-feira, 23 de abril de 2014

UM POUQUINHO DE ALICE BRAGA


Já comentei aqui o quanto sou fã de Alice Braga e qual não foi minha surpresa hoje na hora do almoço enquanto eu assistia o programa Kaos Brasilis no VH1 e começa o clipe Nightwalker do cantor Thiago Pethit, protagonizado por ela. O cantor só aparece no finalzinho e ela dubla a música enquanto dança o tempo inteiro. 

Thiago Pethit, apesar de cantar em inglês, é brasileiro e bancou do seu próprio bolso, os R$ 25.000,00 de seu primeiro disco, Berlim, Texas que vendeu 2000 cópias e no qual a música Nightwalker está incluída.




terça-feira, 22 de abril de 2014

O DESCOBRIMENTO DO BRASIL NO CINEMA

Deborah Secco, Selton Mello e Camila Pitanga em Caramuru - A invenção do Brasil
Em comemoração aos 514 anos do Descobrimento do Brasil, vamos relembrar dois filmes feitos sobre o evento:

Caramuru - A invenção do Brasil, foi dirigido por Guel Arraes em 2000 como mini-série da Rede Globo, para comemorar os 500 anos do descobrimento do Brasil. Depois foi editado para lançamento nos cinemas, como já tinha sido feito anteriormente com O auto da compadecida.

Em 1º de janeiro de 1500 um novo mundo é descoberto pelos europeus, graças aos grandes avanços técnicos na arte náutica e na elaboração de mapas. É neste contexto que vive em Portugual o jovem Diogo (Selton Mello), pintor que é contratado para ilustrar um mapa e, enganado pela sedutora Isabelle (Débora Bloch), acaba sendo punido com a deportação na caravela comandada por Vasco de Athayde (Luís Mello). A caravela acaba naufragando, mas ele, por milagre, consegue chegar ao litoral brasileiro. Lá conhece a bela índia Paraguaçu (Camila Pitanga) com quem logo inicia um romance temperado posteriormente pela inclusão de outra índia: Moema (Deborah Secco), irmã de Paraguaçu.


Mas o cultuado diretor Humberto Mauro já tinha feito uma versão séria sobre o descobrimento do Brasil em 1936, em uma versão muda.


segunda-feira, 21 de abril de 2014

TIRADENTES NO CINEMA

José Wilker em Os Inconfidentes

Hoje é o dia de Tiradentes. Vamos relembrar sua trajetória em três filmes:

Tiradentes estrelado por Humberto Martins em 1999:

A trajetória de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes (Humberto Martins), líder da Inconfidência Mineira, um movimento surgido em Vila Rica (Ouro Preto) em 1789. Tiradentes sonhou junto com amigos e intelectuais ver o Brasil independente do domínio português, mas esbarrou na traição de Joaquim Silvério dos Reis (Rodolfo Bottino).

Tiradentes - O mártir da Independência, dirigido por  Geraldo Vietri em 1977:


Com base nos Autos da devassa, na poesia dos inconfidentes e de Cecília Meireles, Joaquim Pedro de Andrade contesta os documentos oficiais da história da Inconfidência Mineira e trata da posição de intelectuais diante da prática de políticas revolucionárias. Realizado em co-produção com a TV Italiana, RAI, como parte da série intitulada "A América Latina vista por seus idealizadores", Os Inconfidentes foi sucesso internacional de crítica e público, tendo sido premiado no Festival de Veneza. 



domingo, 20 de abril de 2014

A PÁSCOA DE GURU


Já falei aqui que sou um grande fã da turma do Ursinho Pooh, então porque não lembrar da Páscoa com um filme deles? 

E este filme é A páscoa de Guru...

Num dia lindo de primavera, Guru, Pooh e Tigrão estão prontos para brincar e se divertir. Entretanto, Coelho pede que todos fiquem em casa até que esteja terminada a limpeza. Será que alguma coisa poderia fazer Coelho mudar de idéia? Sim, pois todo o amor e sabedoria de Guru mostram a ele que os dias especiais devem ser aproveitados.


sábado, 19 de abril de 2014

O ÍNDIO NO CINEMA

Cena de Hans Staden
Hoje é o dia do Índio. Para homenageá-lo, vamos relembrar como ele foi retratado no cinema:

Sylvio Back dirigiu Yndio do Brasil em 1995:


Kuarup dirigido por Ruy Guerra em 1989:

Brava gente brasileira, dirigido por Lúcia Murat em 2000:

Como era gostoso o meu francês, dirigido por Nelson Pereira dos Santos em 1971:

sexta-feira, 18 de abril de 2014

A PAIXÃO DE CRISTO


As últimas 12 horas da vida de Jesus de Nazaré (James Caviezel). No meio da noite, Jesus é traído por Judas (Luca Lionello) e é preso por soldados no Monte das Oliveiras, sob o comando de religiosos hebreus, que eram liderados por Caifás (Matti Sbraglia). Após ser severamente espancado pelos seus captores, Jesus é entregue para o governador romano na Judéia, Poncio Pilatos (Hristo Shopov), pois só ele poderia ordenar a pena de morte para Jesus. Pilatos não entende o que aquele homem possa ter feito de tão horrível para pedirem a pena máxima e eram os hebreus que pediam isto. Pilatos tenta passar a decisão para Herodes (Luca de Domenicis), governador da Galiléia, pois Jesus era de lá. Herodes também não encontra nada que incrimine Jesus e o assunto volta para Pilatos, que vai perdendo o controle da situação enquanto boa parte da população pede que Jesus seja crucificado. Tentando acalmar o povo e a província, que detesta, Pilatos vai cedendo sob os olhares incriminadores de Claudia (Claudia Gerini), sua mulher, que considera Jesus um santo.

Um filme muito bom e polêmico dirigido por Mel Gibson em 2004.



terça-feira, 15 de abril de 2014

A ÚLTIMA TENTAÇÃO DE CRISTO


Em 1988, o cineasta Martin Scorsese (Taxi Driver) dirigiu o polêmico filme “A última tentação de Cristo” , que causou grande reação por parte da Igreja Católica com perseguições, boicotes, protestos e até ameaças contra sua exibição, quase tudo injustificado já que no início do filme, antes mesmo dos créditos, um letreiro anuncia que a história não é baseada nos Evangelhos e sim no livro homônimo ficcional do escritor grego Nikos Kazantzakis que explica com um trecho do livro a essência do filme:

“A natureza dupla de Cristo, a ânsia tão humana, tão sobre-humana do homem alcançar Deus, sempre foi um profundo mistério para mim. A principal angústia, a fonte de minhas alegrias e tristezas, desde a juventude tem sido a interminável e implacável batalha entre o espírito e a carne e a minha alma é a arena onde estes dois exércitos se encontram e combatem.”

É de uma forma bem humana que Cristo é mostrado na pele de Willem Dafoe, ao contrário dos filmes baseados nos Evangelhos em que ele aparece sempre de forma divina e sem mácula. Aqui ele tem dúvidas, medos e desejos como qualquer outro ser humano. Sente-se relutante em assumir o papel de Messias, nutre uma paixão não consumada por Maria Madalena a quem visita em um bordel.


Em uma só fala, ele assume todas as suas fraquezas:

_ Sou um mentiroso, um hipócrita. Tenho medo de tudo, não digo a verdade. Não tenho coragem. Quando vejo uma mulher, coro e viro a cara. Quero-a mas não a tomo, por Deus e isso me faz sentir orgulhoso. Quero revoltar-me contra tudo, mas tenho medo.
É um Cristo bem diferente daquele que estamos acostumados a ver normalmente nos filmes, a ler na Bíblia ou até mesmo imaginar e acreditar e por isso deve ter chocado tanto, principalmente os mais conservadores. Mas apesar de ficcional é bem verossímil, já que Cristo viveu entre os humanos, como um humano talvez fosse natural que ele sentisse as mesmas coisas que nós.

As cenas mais polêmicas são as de nudez feminina, principalmente de Maria Madalena (Bárbara Hershey); o fato de Cristo ir vê-la com outros homens e a cena dos dois transando, já na parte final, mas tudo é mostrado discretamente por Scorsese que também é católico.

Apesar de não ser baseado nos Evangelhos, várias passagens da Bíblia estão presentes, com maior ou menor alteração, como o batismo no Rio Jordão por João Batista; a tentativa de apedrejamento de Maria Madalena; os 40 dias no deserto, onde é tentado pelo demônio, na forma de uma serpente, de um leão e do fogo; a ressurreição de Lázaro por Cristo, além de outros milagres como o do homem que volta a enxergar; a destruição do templo de orações que foi transformado em mercado...


A virgem Maria quase não é mostrada, a não ser em um momento quando Cristo a rejeita dizendo que não tem mãe e que é só filho de Deus, mas depois se arrepende quando grita por ela no momento da crucificação.

A cena da crucificação é interrompida quando Satã disfarçado de anjo da guarda leva Cristo para casar-se com Maria Madalena (em um quase delírio em que ele vislumbra como poderia ter sido sua vida se ele não tivesse sido crucificado), que logo depois morre, então ele se casa com Maria, irmã de Lázaro, com quem tem dois filhos.

Já que a humanidade não foi salva por ele, o povo sente sua falta, quando Pedro tenta convencê-lo já velho, de que ele não fez a melhor escolha fugindo da crucificação e explica a necessidade que as pessoas têm de acreditar para continuar vivendo.

_ Não sabes o quanto as pessoas precisam de Deus. Não sabe quanto Ele as pode fazer felizes para tudo. Ele pode fazê-las felizes para morrer e elas morrem. Tudo por Cristo, por Jesus Cristo, por Jesus de Nazaré...

Então Cristo aceita que é o Messias, é crucificado e o filme termina nos moldes tradicionais como nos Evangelhos.


O elenco traz Willen Dafoe (Cristo), Harvey Keitel (Judas), Bárbara Hershey (Maria Madalena), Harry Dean Stanton, David Bowie, Verna Bloom e Irvin Kershner.
O roteiro foi escrito por Scorsese e seu eventual colaborador Paul Schrader.

A última tentação de Cristo tem 163 minutos e apesar do tema polêmico, merece ser conferido sem medo por todos, independente de credo ou crença.


domingo, 13 de abril de 2014

O HOMEM QUE VEIO DE LONGE


Para relembrar Elizabeth Taylor, tentei assistir A árvore da vida, que ela fez com Montgomery Clift em 1958, mas como não consegui encontrar, acabei vendo O homem que veio de longe (1968), baseado numa peça quase desconhecida e das menos prestigiadas de Tennessee Williams. Só foi produzido pelo prestígio que o casal Elizabeth Taylor/ Richard Burton tinha à época.

O título original é muito estranho, Boom! Referindo-se ao barulho que as ondas fazem quando batem nas rochas, o filme então nem se fala. Liz vive uma mulher doente que mora em uma ilha cercada por empregados e ditando sua autobiografia para uma secretária (Joanna Shimkus, que depois abandonaria a carreira para se casar com Sidney Poitier). Não se deixa claro exatamente o que ela tem, falam que ela quebrou a “bacia”, que tem artrite, neurite e tudo o mais que termine em “ite”, só não se dá conta que também tem “mortite”, como diz a secretária, mas nada disso é mortal. Ela grita de dor, recebe transfusão de sangue e toma analgésicos para dormir.


Até que aparece o homem do título (Richard Burton), que tem o costume de visitar senhoras que estão à beira da morte para ajudá-las a fazer a passagem, como se fosse o anjo da morte. No início temos a impressão que ela não passa de um interesseiro ou de alguém que as ajuda a morrerem mais rápido, mas não é bem assim. Sally (Liz) é arrogante e prepotente e o trata com desdém, mesmo dizendo que um homem seria melhor para ela que todos os remédios que toma. Quando ela “baixa a guarda” e tenta se aproximar, já é tarde demais.

Num momento em que sua esperança acaba, ela diz: “O trem da alegria não para mais aqui!” Uma frase belíssima, mais de um pessimismo insuportável e que no final das contas acaba sendo a única que fica gravada em nossa mente, depois que o filme acaba.



quinta-feira, 10 de abril de 2014

FESTIVAL SESC MELHORES DO ANO

Cena de O som ao redor

O 40º Festival Sesc Melhores Filmes começou com uma cerimônia emocionante. O longa O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho, foi o grande destaque da noite, com sete estatuetas, incluindo a de melhor diretor e melhor filme da crítica e do público. Conheça os ganhadores que, a partir da quinta passada, entraram em cartaz no CineSesc:

Cena de Elena

Os eleitos pelo público:
Nacional
Melhor filme (ficção): O Som ao Redor
Direção: Kleber Mendonça Filho - O Som ao Redor
Documentário: Elena
Roteiro: Kleber Mendonça Filho - O Som ao Redor
Fotografia: Pedro Sotero e Fabricio Tadeu - O Som ao Redor
Ator: Irandhir Santos - Tatuagem
Atriz: Denise Fraga - Hoje

Estrangeiro
Direção: Abdellatif Kechiche – Azul é a Cor mais Quente
Ator: Mads Mikkelsen - A Caça
Atriz: Adèle Exarchopoulos -Azul é a Cor mais Quente

Denise Fraga, melhor atriz pelo filme Hoje

Os eleitos pela crítica:
Nacional
Melhor filme (ficção): O Som ao Redor
Direção: Kleber Mendonça Filho - O Som ao Redor
Documentário: Doméstica e Mataram Meu Irmão
Roteiro: Kleber Mendonça Filho - O Som ao Redor
Fotografia: Ivo Lopes Araújo - Tatuagem
Ator: Irandhir Santos - Tatuagem
Atriz: Denise Fraga - Hoje

Jean-Louis Trintignan e Emmanuelle Riva em Amor

Estrangeiro
Melhor filme: Amor
Direção: Miguel Gomes - Tabu
Ator: Mads Mikkelsen - A Caça
Atriz: Emmanuelle Riva - Amor


terça-feira, 8 de abril de 2014

JOSÉ WILKER


Sou grande fã do programa de entrevistas Palco e Plateia, apresentado por José Wilker no Canal Brasil, onde ele entrevistava personalidades do teatro e qual não foi minha espanto quando um amigo me mandou uma mensagem no sábado passado (05/04) avisando que o ator tinha morrido durante a madrugada de infarto fulminante. 

Wilker nasceu em 20 de agosto de 1946 no Juazeiro do Norte (CE), mas muda-se ainda criança para o Recife. 

Começou a carreira como ator profissional em 1964 no Movimento Popular de Cultura e no ano seguinte já estreou no cinema, numa ponta em A Falecida. Fez dezenas de filmes e quando fui pesquisar sua filmografia no IMDb é que me dei conta de que já tinha visto 40 deles (os que estão marcados com X), mas ainda restam muitos outros. Vou atrás deles.



Fez também enorme sucesso na televisão. Como não se lembrar das novelas Roque Santeiro, Senhora do Destino, Bandeira 2, Gabriela, Fera Ferida e várias outras mini-séries como Agosto e Anos Rebeldes? Ou dos personagens inesquecíveis no cinema, como o Vadinho de Dona Flor e seus dois maridos, o Tenório Cavalcante de O homem da capa preta e o Antonio Conselheiro de Guerra de Canudos?

Tomara que tenha deixado muitos episódios gravados do programa Palco e Plateia...

Nem vou falar da falta que ele vai fazer nas artes brasileiras, pois isso todos já sabem!

Com Sonia Braga em Dona Flor e seus dois maridos

FILMOGRAFIA COMO ATOR
(   ) 2014 - Isolados
(   ) 2014 - Matraga

(X) 2013 - Giovanni Improtta
(   ) 2012 - Mundo Invisível(segmento "Kreoko")
(   ) 2011 - A Melhor Idade (curta)
(X) 2010 - Elvis & Madona

(X) 2010 - O Bem Amado
(   ) 2009 - Heaven Garden (curta)

(X) 2009 - Embarque Imediato
(X) 2008 - Romance
(X) 2008 - Casa da Mãe Joana
(X) 2008 - Sexo com Amor?
(X) 2006 - Canta Maria
(X) 2004 - Redentor
(X) 2004 - Onde Anda Você
(X) 2003 - Viva Sapato!
(X) 2003 - O Homem do Ano
(   ) 2002 - Banquete (curta)

(   ) 2002 - Dead in the Water
(X) 1997 - Guerra de Canudos
(   ) 1992 - O Curandeiro da Selva
(   ) 1990 - Filha da Mãe
(   ) 1989 - A Porta Aberta (curta)

(X) 1988 – Prisioneiro do Rio 
(X)1987 - Leila Diniz
(X) 1987 - Besame Mucho

(X) 1987 - Os Inconfidentes
(X) 1986 - Baixo Gávea

(X) 1985 - Fonte da Saudade
(X) 1984 - São Bernardo(Telefilme)

(   ) 1983 - O Rei da Vela
(   ) 1983 - Fiebre amarilla

(X) 1980 - Bye Bye Brasil
(X) 1979 - O Bom Burguês
(   ) 1978 - Batalha dos Guararapes
(   ) 1977 - Diamante bruto
(X) 1976 - Xica da Silva
(   ) 1975 - Ana, a Libertina
(   ) 1975 - As Deliciosas Traições do Amor(segment "Dois é Bom... Quatro é Melhor")

(X) 1975 - O Casal
(   ) 1974 - Amor e Medo
(   ) 1974 - Enquanto a Cegonha Não Vem (Telefilme)
(   ) 1974 - A Cartomante (Telefilme)
(   ) 1971 - O Crime do Silêncio (Telefilme)
(   ) 1970 - Eu Sou Vida, Eu Não Sou Morte (curta)
(   ) 1968 - A Vida Provisória

(X) 1967 - El justicero
(X) 1965 – A Feiticeira



domingo, 6 de abril de 2014

OS TELEFILMES BRASILEIROS

Fernanda Montenegro em Doce de mãe

Há pouco tempo virei apreciador dos telefilmes brasileiros. Inicialmente com os filmes produzidos para a TV Record pela Contém Conteúdo e agora exibidos pelo Canal Universal para cumprir a cota de produtos nacionais na TV por assinatura, depois com as produções da Rede Globo, exibidas geralmente no fim de ano e agora com os telefilmes da TV Cultura.

E o melhor de tudo é que são produções de alta qualidade, geralmente com duração de 52 a 70 minutos e contando com atores tarimbados tanto da televisão quanto do cinema brasileiro.

Lembrando que o primeiro longa metragem produzido especialmente para a televisão foi O boi misterioso e o cavaleiro menino, produzido em 1980 pela Rede Bandeirantes (atual Band) e que contava com Jofre Soares no elenco.

Vamos relembrar essas produções. Os filmes marcados com X são os que eu já vi...

Gisele Itiê e Fernando Pavão em O milagre dos pássaros

TV RECORD
(X) Os óculos de Pedro Antão (2008)
(X) Uns Braços (2009)
(X) As mãos de meu filho (2010)
(X) O madeireiro (2011)
(X) O fim de Arsênio Godard (2011)
(X) Machado do Brasil
(X) O menino Grapiúna
(X) O milagre dos pássaros (2012)
(X) A Tragédia da Rua das Flores (2012)
(   ) O amor e a morte (2013)
(X) Tá tudo em casa
(X) Casamento blindado (2013)
(X) Manual prático da melhor idade (2014)
(X) Onde está você? (2014)
(X) Amor custa caro (2014)
(X) Na mira do crime (2014)

Rodrigo Santoro e Débora Falabella em Homens de bem

TV GLOBO
(X) Papai noel existe (2010)
(X) A princesa e o vagabundo (2010)
(X) Homens de bem (2011)
(X) Doce de mãe (2012)
(X) Alexandre e outros heróis (2013)
(X) Didi, o peregrino (2013)
(X) Didi e o segredo dos anjos (2014)
(X) O canto da sereia
(X) O pagador de promessas
(X) Força tarefa
(X) Maysa - Quando fala o coração
(X) A teia
(X) Ó paí, ó
(X) Dalva e Herivelto - Uma canção de amor
(X) Presença de Anita
(X) As noivas de Copacabana
(X) Dercy de verdade
(X) Lampião e Maria Bonita
(X) Anos dourados
(   ) Animal
(X) Amores roubados
(X) Carga Pesada
(X) A cura
(   ) Dona Flor e seus dois maridos
(   ) O Brado Retumbante

Simone Spoladore em A musa impassível

TV CULTURA
(   ) A Queda do Dinheiro de Ugo Giorgetti
(X) Corpo Presente de Marcelo Toledo e Paulo Gregório,
(   ) Carro de Paulista de Ricardo Pinto e Silva
(   ) Para aceitá-la continue na linha de Anna Muylaert.
(   ) Irina de Sabrina Greve
(   ) Macbeto de Danilo Solferini
(   ) A performance de Mauro Baptista Vedia e Luis Dantas
(X) Fios de ovos de Maíra Bühler e Matias Mariani
(   ) Paredes nuas
(X) A musa impassível
(   ) A mudança
(   ) Andaluz
(X) Segundo movimento para piano e costura
(X) E Além de Tudo, me Deixou Mudo o Violão de Anna Muylaert
(X) A Ópera de Cemitério, de Juliana Rojas
(   ) Vitrola, de Charly Braun
(   ) Invasores, de Marcelo Toledo e Paolo Gregori