sexta-feira, 16 de julho de 2010

À PROVA DE MORTE (Estreia)

À prova de morte (Death Proof). Direção: Quentin Tarantino. Com: Kurt Russell, Rosário Dawson, Rose McGowan, Zoe Bell e Quentin Tarantino. Ação, 113 min.

Chega aos cinemas brasileiros com um ano de atraso, À prova de morte, que eu pensei que já seria lançado diretamente em DVD, depois de seu fracasso nos Estados Unidos.

Os diretores Quentin Tarantino (Bastardos Inglórios) e Robert Rodriguez (Sin City – A cidade do pecado) se uniram em 2007, para homenagear as Grindhouse, que eram sessões duplas, formadas por filmes de baixo orçamento, com qualidade duvidosa, mas que fazia sucesso entre o grande público, pois eram exibidos dois filmes pelo preço de um.

Grindhouse era inicialmente um filme de 180 minutos composto por “Planeta Terror” de Robert Rodriguez e este “À prova de morte” de Quentin Tarantino, mas foi um fracasso de bilheteria nos Estados Unidos, onde o público saía do cinema depois de Planeta Terror que era o primeiro filme exibido. Então a produtora resolveu lançar os dois separadamente no exterior. No Brasil, só foi lançado nos cinemas o filme de Robert Rodriguez e como não fez muito sucesso, nem lançaram o de Tarantino.

Assisti à Planeta Terror no cinema e achei superior a este que só agora consegui ver em DVD. Dublê Mike (Kurt Russell) é um maníaco com uma cicatriz no rosto que dirige um carro que é à prova de morte, mas só do lado do motorista, como ele mesmo explica a uma moça desavisada que lhe pede carona. Depois de matá-la, ele repete a dose com outras quatro garotas que bebiam em um bar. Então o filme dá a impressão de começar de novo. São apresentadas outras quatro garotas que só querem se divertir e são apaixonadas por carros e pelos filmes que falam desse assunto, como “Corrida contra o destino”, “Fuga alucinante” e “60 segundos” (a primeira versão e não a porcaria com a Angelina Jolie, como explica uma das personagens). Essas garotas também são dublês, o que é curioso já que uma delas, Zöe Bell foi dublê de Uma Thurman em “Kill Bill”, também de Tarantino. Quando Mike as vê pelo binóculo sente que vai torturar e matar novamente, mas não é bem o que acontece, pois as meninas são destemidas e não deixam por menos.

Claro que é meio sádico dizer isso, mas é prazeroso ver o dublê Mike passar pelas mesmas coisas que ele impingiu a suas vítimas e essa é a melhor parte do filme. O resto é formado por muito falatório, que é característico a Tarantino, mas que nem por isso (ou por causa disso) é chato, pois ele recheia os diálogos com referências pop.

Como disse antes, é inferior a “Planeta Terror”, mas ainda assim, se assiste com grande interesse, pois como dizem, Tarantino por pior que seja, ainda é um Tarantino...
video
Trailer de "À prova de morte"

2 comentários:

  1. Estava muito anciosa por esse filme. Queria vê-lo junto com Planeta Terror como seria no projeto original.Fiquei muito contente em saber que ele saiu do limbo e vai ser exibido nas telonas brasileiras.

    ResponderExcluir
  2. oiew tudo bom? estou aqui para te dizer que seu texto foi publicado no papéis on line. agora se você quer que ele seja publicado no nosso impresso que vai para casa de nosso assinantes gratuitamente vá lá na página seletiva de nosso blog ^^

    ResponderExcluir