quinta-feira, 20 de outubro de 2011

DIA DO POETA

Estátua de Carlos Drummond de Andrade

Hoje comemora-se o dia do poeta, uma dessas pessoas tão abençoadas que fazem tudo parecer bonito, até a dor. Tenho dúvidas sobre qual o meu poeta preferido. Se...

Carlos Drummond de Andrade




Quero que todos os dias do ano
Todos os dias da vida De meia em meia hora
De cinco em cinco minutos
Me digas, eu te amo.
(Quero)







Mário Quintana



Minha vida não foi um romance...
Nunca tive até hoje um segredo
Se me amas, não digas,
Que morro
De surpresa... de encanto...
De medo...
(Canção para uma valsa lenta)




Fernando Pessoa


Quando vier a primavera
Se eu já estiver morto,
As flores florirão da mesma maneira
E as árvores não serão menos verdes
Que na primavera passada
A realidade não precisa de mim. (Quando vier a primavera)









Cecília Meireles



Fez tanto luar que eu pensei nos teus olhos antigos
E nas tuas antigas palavras
O vento trouxe de volta tantos lugares em que estivemos
Que tornei a viver contigo enquanto o vento passava. (Valsa)







Ferreira Gullar






Que as minhas loucuras sejam perdoadas
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também. (Metade)








Álvaro de Campos





Todas as cartas de amor são
Ridículas
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas. (Todas as cartas de amor)










Poeta desconhecido


Eu te amo até pelo que você poderia ter sido
Se a maré das circunstâncias
Não tivesse te banhado
nas águas do equívoco.
(Quando o amor vacila)







Ou os poetas modernos...

Renato Russo

Nossas meninas estão longe daqui
E de repente ouvi você cair
Não sei armar o que eu senti
Não sei dizer que vi você ali
Quem vai saber o que você sentiu?
Quem vai saber o que você pensou?
Quem vai dizer agora o que eu não fiz?
Como explicar pra você o que eu quis? (Soldados)



Cazuza



Amor da minha vida
Daqui até a eternidade
Nossos destinos foram traçados na maternidade. (Exagerado)










Chico Buarque


Quero ficar no teu corpo feito tatuagem
Que é pra te dar coragem
Pra seguir viagem
Quando a noite vem
E também pra meu perpetuar em tua escrava
Que você pega, esfrega, nega
Mas não lava.
(Tatuagem)









Gonzaguinha


Chega de tentar dissimular
E esconder e disfarçar
O que não dá mais pra ocultar
E eu não posso mais calar
Já que o brilho desse olhar foi traidor
E entregou o que você não quis desafar
E me cortou. (Explode coração)





Peninha


Tudo era apenas uma brincadeira
E foi crescendo, crescendo me absorvendo
E de repente eu me vi assim
Completamente seu.
(Sonhos)





Caetano Veloso


Onde queres revólver, sou coqueiro
Onde queres dinheiro, sou paixão
Onde queres descanso, sou desejo
E onde sou só desejo, queres não
E onde não queres nada, nada falta
E onde voas bem alta, eu sou o chão
E onde pisas o chão, minha alma salta
E ganha liberdade na amplidão.
(O Quereres)





2 comentários:

  1. Assista Munique Gilberto, não vai se arrepender. Estarei te seguindo e se puder me siga.

    ResponderExcluir