sexta-feira, 25 de novembro de 2011

A MALVADA

Bette Davis

(All about Eve). Direção: Joseph L. Mankiewicz. Com: Bette Davis, Anne Baxter, George Sanders, Thelma Ritter, Celeste Holm e Marilyn Monroe. Drama, 132 min.

Um clássico indiscutível. Recordista em indicações ao Oscar (14), vencendo os de diretor, roteiro, ator coadjuvante, som e figurinos. Bette Davis e Anne Baxter foram indicadas como melhores atrizes, mas perderam.

Quem nunca assistiu ao filme, pensa que “A malvada” refere-se à personagem de Bette Davis devido à infinidade de vilãs interpretadas com maestria por ela, mas na verdade, a malvada é a personagem de Anne Baxter e o título original já indica isso: “Tudo sobre Eve”.

O filme tem início numa premiação em que Eve prepara-se para receber o prêmio de melhor atriz e um longo flashback mostra o que ela fez para chegar até ali, primeiro fingindo-se de fã e devota de Margo (Bette Davis), o uso de artimanhas para que ela faltasse a uma apresentação de sua peça e Eve pudesse substituí-la e chantageando a mulher do roteirista para conseguir o papel de protagonista na peça seguinte que lhe rende o prêmio.


No fundo é uma homenagem ao teatro. O cinema e seus astros e estrelas são citados, mas nunca vistos. O filme é sobre a arte de interpretar nos palcos, mas principalmente sobre a maldade humana e o que as pessoas são capazes de fazer para subir na vida e se apossar do que é do outro, usando de falsidade e golpes baixos. O final é bem irônico, mostrando que as coisas que fazemos, voltam para nós.

Pedro Almodóvar homenageou “A malvada” em “Tudo sobre minha mãe”, quando mãe e filho assistem uma exibição do filme na televisão e reclamam da péssima tradução que os títulos recebem para exibição nacional (o que acontece também no Brasil). Aquela história também fala sobre teatro e uma atriz famosa que passa por problemas, mas a maldade é mais discreta.

Curiosidades: A história é vagamente inspirada em um caso acontecido com Tallulah Bankhead (Um barco e nove destinos). Marilyn Monroe faz uma pontinha como uma atriz em ascensão, já dando sinais do estrelato que viria logo a seguir. O diretor Joseph L. Mankiewicz em seguida dirigiria os clássicos “De repente no último verão” (1959) e “Cleópatra” (1963), ambos com Elizabeth Taylor.

Um filme imperdível!


Anne Baxter, Bette Davis e Marilyn Monroe

11 comentários:

  1. Um trabalho culto, de gênio. A malvada sempre foi a Anne Baxter, mas a Bette Davis sempre teve "A Fama".

    Um clássico obrigatório para todo cinéfilo. Joseph L. Mankiewicz realiza um filme magistral.

    Abs.

    ResponderExcluir
  2. Saudade grande deste clássico!!! digno realmente de mérito, um dos primeiros filmes da Bette que vi e lógico, [spoiler detected] imaginava que ela era a malvada em questão. ;)

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Pois é, quando alguém fica estigmatizado não tem volta. Eu sei bem o que é isso. Uma pessoa que conheci me estigmatizou como uma espécie de Malvada, para essa pessoa eu sou tudo de ruim que uma mulher pode reunir em si.

    Ótimo post, Gilberto, como sempre. Gostei muito do filme que "a malvada" Bette Davis dá um rato para a irmã comer... "O que terá acontecido a Baby Jane?"

    Abração.

    ResponderExcluir
  4. Gilberto, acredita q ainda não assisti esse filme?
    Um crime nê? Tenho q solucionar isso, seu texto me aguçou ainda mais a curiosidade. Abração!

    ResponderExcluir
  5. Rodrigo, realmente A malvada é um filme de gênio, para ver e rever várias vezes.

    Renato, A Malvada também foi dos primeiros filmes que vi com Bette Davis, depois do hilário A madrasta.

    Ligéia, quando um ator fica estigmatizado por determinado papel é complicado... Já o outro filme de Bette, O que terá acontecido a Baby Jane? é maravilhoso. Onde ela mostra porque era uma malvada de 'mão cheia'.

    Celo, este filme tem que estar entre os 365 do teu blog.

    Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  6. É uma obra imperdível e obrigatória para todo amante da Sétima Arte, Gil. Independente de Bette Davis ser uma das minhas atrizes favoritas, A MALVADA é um clássico absoluto da Sétima Arte.

    Tive oportunidade de ver em um cinema este filme há uns 15 anos num centro cultural daqui do Rio e Janeiro, e ao fim, aplaudiram de pé. Obviamente eu também.

    Ótima lembrança, Gil. Forte Abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  7. Um dos melhores filmes de todos os tempos. Imperdível! Que diálogos!

    O Falcão Maltês

    ResponderExcluir
  8. He encontrado tu bitácora de curioso y aunque mi idioma es el español, soy de Perú, se entiende el portugués y he querido practicarlo aprovechando la oportunidad que soy seguidor del blog de Antonio Nahud. Espero puedas entender el español y poder compartir de cine contigo. Sobre la cinta la tengo y espero verla pronto, me encanta Bette Davis y me ha sorprendido saber que Baxter es la protagonista principal, también que Monbore hace un pequeño papel. También aparece Telma Ritter, la actriz de la ventana indiscreta, muy buena actriz, muy graciosa. Felicitaciones por la bitácora, si gustas te invito a la mía, ojalá te guste y te hagas seguidor. Abrazos.

    PD: Y si te animas te dejo mi twitter @nenufareseferv

    Mario.

    ResponderExcluir
  9. Post indicado para os melhores da semana. http://blogsdecinemaclassico.blogspot.com/2011/11/links-da-semana-21-27-de-novembro.html

    ResponderExcluir
  10. Paulo e Antonio, A malvada é imperdível mesmo. Para ver e rever. Boa semana pra vocês...

    Carla obrigado pela indicação.

    Mário, obrigado pela visita. Já estou seguindo o teu blog. Segue o Gilberto Cinema também. Tomara que possa praticar o português com ele e eu possa praticar espanhol com o teu, abraços. Ah, o meu twitter é @gilbertocinema...

    ResponderExcluir
  11. Simplesmente maravilhoso! Esse filme me arrebata loucamente! Amei tua postagem!

    ResponderExcluir